Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas

Em plenário realizado no passado dia 30 de Setembro, os trabalhadores não-docentes da Escola Secundária Pedro Nunes, em Lisboa, decidiram marcar um dia de luta pelo alargamento do mapa de pessoal não-docente da escola.

O número de trabalhadores (rácio) estabelecido por lei é manifestamente insuficiente para as necessidades da escola.

O resultado desta insuficiência traduz-se numa enorme sobrecarga de trabalho para os trabalhadores atualmente em funções, pondo em risco a saúde (física e mental) dos mesmos, bem como o bom funcionamento da escola nas suas diversas vertentes.

Os trabalhadores não-docentes da Escola Secundária Pedro Nunes decidiram, assim, lutar pelo alargamento do mapa de pessoal da escola com vista ao reforço do número de Assistentes Operacionais e Assistentes Técnicos, fazendo um dia de greve, no próximo dia 18 de Outubro, estando marcada uma concentração à porta da escola por volta das 8:00 horas, após o que se deslocarão ao Ministério da Educação onde entregarão um documento com as suas razões e reivindicações à Secretária de Estado Adjunta e da Educação.

Share